"Em geral, nove décimos da nossa felicidade baseiam-se exclusivamente na saúde. Com ela, tudo se transforma em fonte de prazer."

Arthur Schopenhauer





Untitled Document

Doenças alérgicas

Alergia a Picada de Insetos

As manifestações alérgicas a picada de insetos podem ser desde as mais leves como a causada pela picada de insetos sugadores chamados hematófagos, até reações anafiláticas graves, causadas pelo veneno de himenópteros.  

 

Alergia à picada de hematófagos  

Caracteriza-se por uma manifestação freqüente na infância (04 meses a 8 anos de idade), chamada estrófulo, ocasionada por reação a picada de insetos sugadores chamados hematófagos. Esse insetos sugam o sangue e inoculam no local substâncias salivares capazes de desencadear reações alérgicas.  

Os pernilongos e as pulgas (presentes no ser humano, cães e gatos) são os mais freqüentes causadores do estrófulo. Outros insetos, como borrachudos, mosquito palha, mutucas, mosquito pólvora, raramente causam estrófulo.  

Fato interessante é que a pulga do cão só pica o homem quando o cão for afastado do ambiente, a preferência sempre será para o cão. Por isto, muitas vezes o afastamento do animal do ambiente pode levar a piora do quadro de estrófulo na criança.  

A localização das lesões depende do vetor. Os mosquitos provocam lesões em áreas expostas (pernas, braços e face) e as pulgas atingem as áreas cobertas como abdômen, nádegas e tronco. O prurido é intenso, podendo, pela coçadura, levar a infecção bacteriana.  

Diagnóstico  

Dá-se através do exame físico e laboratorial por testes alérgicos e IgE especifico.  

Tratamento  

a. Profilático  

*Usar repelentes e inseticidas  

*Fazer uso de telas em janelas  

*Manter os animais livres de pulgas  

*Eliminar águas paradas  

*Usar vitamina B1 via oral, responsável por eliminar na pele um odor repelente  

b. Sintomático  

*Fazer uso de antihistamínicos (antialérgicos) via oral  

*Realizar a limpeza das lesões com soluções anti-sépticas  

*Caso seja necessário utilizar de medicamentos tópicos: corticosteróides, e antibióticos.  

c. Imunoterápico  

Pode ser usado com o intuito de abreviar a evolução da doença.  

 

 

Alergia à picada de himenópteros  

Os insetos que injetam veneno capaz de provocar reações alérgicas pertencem ao filo dos Artrópodes, ordem Hymenoptera, tais sejam: vespas, abelhas e formigas, destacando-se, neste último grupo, as formigas de fogo "Solenopsis invicta" (formiga fogo) e a "Solenopsis ritcheri".  

No Brasil as abelhas domésticas são uma mistura de abelhas européias ("Apis mellifera") com as abelhas africanas ("Apis mellifera scutellata"), e no que se refere as vespas, a espécie mais comum é a "Polister sp", menos agressiva do que a européia ("Vespula sp").  

A reação à picada depende de cada indivíduo e da dose do veneno inoculado, podendo variar em níveis de gravidade, desde pequenas irritações locais até quadros graves, como a urticária, crises de broncoespasmo (dificuldade respiratória) ou choque anafilático.  

Diagnóstico  

Feito basicamente através da história relatada pelo paciente, testes cutâneo alérgicos e pesquisa de IgE especifica ao veneno.  

A dificuldade no diagnóstico decorre do fato da maioria dos extratos serem provenientes de outros países e portanto, inadequados ao nosso meio, por existir diferenças entre as espécies. Além disso, devido ao risco, os testes devem ser realizados em ambiente hospitalar.  

Tratamento  

a. Profilático  

- Evitar locais onde possa existir grande quantidade desses insetos.  

- Evitar uso de perfumes de aroma marcante, que costumam atrair esses insetos.  

- Evitar andar descalço, no caso de alergia a picada de formigas.  

Obs. Pacientes de alto risco alérgico devem carregar sempre materiais de primeiros socorros (anti-histamínicos, corticosteróides sistêmicos e até mesmo adrenalina auto-injetável).  

b. Medicamentoso  

*Retirar o ferrão e aplicar gelo no local ferroada  

*Usar corticosteróide local ou sistêmico (via oral ou injetável)  

*Aplicar anti-histamínicos sistêmicos (via oral ou intramuscular)  

Obs. Se a reação for muito intensa, deve-se prontamente encaminhar o paciente ao hospital.  

c. Imunoterápico  

Existem algumas dificuldades quanto ao tratamento imunoterápico, tais como o alto custo do procedimento, elevada incidência de reações adversas e indeterminação do tempo de eficácia. Deve-se verificar a conveniência ou não de se instituir o tratamento imunoterápico.

Alergia AlimentarAlérgenos InaláveisAlergia ao LátexAlergia a MedicamentosAlergia a Picada de InsetosAsma BrônquicaDermatite AtópicaDermatite de ContatoOutras DoençasRinite AlérgicaUrticária

Clínica Paulista de Alergia

Rua Marquês de Itú, 266 - Cj 22 - São Paulo/SP - Tel: 3333-0802 / 3333-6295 / 3333-2381

Todos os Direitos Reservados - 2008