"Em geral, nove décimos da nossa felicidade baseiam-se exclusivamente na saúde. Com ela, tudo se transforma em fonte de prazer."

Arthur Schopenhauer





Untitled Document

Doenças alérgicas

Alergia a Picada de Insetos

As manifestações alérgicas a picada de insetos podem ser desde as mais leves como a causada pela picada de insetos sugadores chamados hematófagos, até reações anafiláticas graves, causadas pelo veneno de himenópteros.  

 

Alergia à picada de hematófagos (pulgas, pernilongos, borrachudos, mutucas, mosquito palha e pólvora, entre outros)  

Caracteriza-se por uma manifestação freqüente na infância (04 meses a 8 anos de idade), chamada estrófulo, ocasionada por reação a picada de insetos sugadores chamados hematófagos. Esse insetos sugam o sangue e inoculam no local substâncias salivares capazes de desencadear reações alérgicas.  

Os pernilongos e as pulgas são os mais frequentes causadores de estrófulo.  

O diagnóstico é realizado através de exame físico, testes alérgicos e exames laboratoriais.  

O tratamento consiste em:  

a) Profilático (Preventivo):  

*Uso de repelentes e inseticidas  

*Uso de telas em janelas  

*Controle anti pulga dos animais e eliminação de águas paradas  

*Em casos de crises repetidas indica-se à imunoterapia  

b) Tratamento da fase aguda: uso de antihistamínicos via oral, corticoides (via oral e tópico), e antibióticos quando necessário.  

 

Alergia à picada de himenópteros (abelha, vespa e formiga)  

Os himenópteros são insetos que, ao picarem, injetam veneno capaz de provocar reações alérgicas.  

No Brasil as abelhas domésticas provém do cruzamento entre abelhas européias ("Apis mellifera") com as abelhas africanas ("Apis mellifera scutellata"). Entre as vespas, a espécie mais comum é a "Polister sp". Já nas formigas, destaca-se a formiga fogo ou lavapés ("Solenopsis invicta") e a formiga "Solenopsis richteri").  

A reação à picada depende de cada indivíduo e da dose do veneno inoculado, podendo variar em níveis de gravidade, desde pequenas irritações locais até quadros graves, como a urticária, crises de broncoespasmo (dificuldade respiratória) ou choque anafilático.  

O diagnóstico é realizado através da história relatada pelo paciente, testes cutâneo alérgicos e pesquisa de IgE especifica ao veneno.  

Devido à existência de alérgenos comuns, pode ocorrer reação cruzada entre os venenos de diferentes heminópteros.  

O tratamento consiste em:  

a) Profilático (Preventivo):  

*Evitar locais onde possa existir grande quantidade desses insetos  

*Evitar uso de perfumes (florais e adocicados), que costumam atrair esses insetos  

*Evitar andar descalço, no caso de alergia a picada de formigas  

*Os pacientes de alto risco alérgico devem carregar materiais de primeiros socorros (anti-histamínicos, corticosteróides sistêmicos e até mesmo adrenalina auto-injetável)  

b) Tratamento da fase aguda:  

*No caso da abelha, retirar o ferrão e aplicar gelo no local  

*Usar corticosteróide local ou sistêmico (via oral ou injetável)  

*Aplicar anti-histamínicos sistêmicos (via oral ou intramuscular)  

*Se a reação for muito intensa, deve-se prontamente encaminhar o paciente ao hospital  

 

Este material possui caráter informativo, não devendo ser utilizado para fins de diagnóstico ou de tratamento. Recomendamos sempre consultar um especialista.

AlergiaAlergia AlimentarAlergia ao LátexAlergia a MedicamentosAlergia a Picada de InsetosAsmaDermatite AtópicaDermatite de ContatoOutras DoençasRinite AlérgicaUrticária e Angioedema

Clínica Paulista de Alergia

Horário de Funcionamento: segunda à sexta, das 8h às 18h. Rua Marquês de Itú, 266 Cj 22 - Vila Buarque - Duas quadras do Metrô República -São Paulo/SP - Tel: 55 (11) 3333-0802 / 2381 / 6295 / 3221-9784

Todos os Direitos Reservados - 2008